• Topo Saude
  • Topo Saude2
NOTÍCIAS
Núcleo de Prática Orquestral e Coral promove educação por meio da música e descobre talentos

Segunda, 12 Dezembro 2016

Núcleo de Prática Orquestral e Coral promove educação por meio da música e descobre talentos

Projeto fruto da parceria entre a Santa Casa da Bahia e o NEOJIBA vem colecionando histórias inspiradoras

As aulas matutinas diárias e os ensaios constantes despertaram em Lívia Silva a paixão pelo fagote. A jovem que há um ano encarava o instrumento como um passatempo hoje tem como meta cursar uma faculdade para se tornar musicista.

"Quando toco uma música que eu gosto, o meu humor muda. A música me acalma", conta a menina de 15 anos, nascida e criada no Bairro da Paz. Ela viu suas perspectivas mudarem desde que começou a aprender música clássica há três anos, quando a Santa Casa da Bahia, que realiza atividades sociais no local desde 2002, se uniu aos Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (NEOJIBA) para implementar um Núcleo de Prática Orquestral e Coral no bairro.

Desde então, cerca de 130 crianças e adolescentes, com idade de 8 a 18 anos, vêm tendo acesso ao ensino musical, em turno oposto à escola. O Núcleo também desenvolve atividades com o intuito de mobilizar a comunidade para promover a difusão e o acesso à música. A Banda Experimental Pedagógica, para iniciantes, a Banda Sinfônica da Paz, composta por instrumentos de sopro e percussão, e o Coral da Paz são as formações musicais da iniciativa que não para de gerar frutos.

Rafael Oliveira, 13 anos, é um deles. O menino toca flauta transversal e se destaca por sua dedicação e disciplina. Versátil, recentemente ele começou a ser apresentado a técnicas de regência. "Eu pratico muito e vejo que venho tendo uma boa evolução, sei que tenho um futuro na música".

Cristiane Souza é mãe de Matheus. O adolescente de 14 anos tocava percussão no Núcleo de Prática Orquestral e Coral até quatro meses atrás, quando foi aprovado no processo seletivo do NEOJIBA e passou a integrar a Orquestra Castro Alves (OCA).

"Desde que começou a tocar, ele vem se dedicando mais à escola. Um dia meu marido chegou em casa e ficou espantado ao ver Matheus lendo um livro", conta ela sobre o filho que vem tomando gosto pelos estudos e planeja ir além. "Quando terminar o ensino médio, vou estudar música na UFBA e me tornar um percussionista profissional", almeja o garoto.

Estudar música e viver dela também passou a ser o objetivo de Priscila e Talita Luz, irmãs que descobriram a música clássica juntas, quando se inscreveram no Núcleo. As duas meninas que eram fãs de violão conheceram um novo mundo, Priscila com o oboé e Talita com a flauta transversal. Hoje, as duas estão na OCA, como Matheus.

Nos últimos dois anos, outras seis crianças e adolescentes que começaram a estudar música no Núcleo de Prática Orquestral e Coral Bairro da Paz também passaram em processos seletivos do NEOJIBA e hoje integram a Orquestra Castro Alves ou a Orquestra Pedagógica Experimental, onde seguem lapidando seus talentos.

"A maioria começa sem muito compromisso com a música. De repente, a gente vê o brilho e a busca pela excelência nascerem. Esse é o nosso maior objetivo aqui e é isso que motiva o nosso trabalho todos os dias", conta Esdras Efraim, coordenador pedagógico do Núcleo de Prática Orquestral e Coral e maestro da Banda Sinfônica da Paz.

Para Martha Verônica, coordenadora de Projetos Comunitários da Santa Casa da Bahia, esse aprendizado representa um diferencial enorme na vida das crianças e dos adolescentes. "Nós plantamos uma semente capaz de mudar a trajetória deles hoje para torná-los adultos melhores amanhã".